• Por Dr. Adriana Victor Barros

Medo de dentista.



Uma frase comum nas consultas odontológicas onde converso primeiro com o papai e mamãe dos pacientes é: “Eu acho que ele (criança) não vai deixar você olhar, lá em casa todo mundo tem medo de dentista”.


Estudos apontam que pais normalmente são responsáveis pelo filho ter medo de dentista. Sem perceber, os pais podem passar traumas que levam durante a vida para seus filhos. Isso acontece também com a consulta no dentista. Pensando em tranquilizar a criança, as frases “não precisa ter medo” e “não vai doer nada” podem ser o início de uma carga de ansiedade desnecessária.


Os pais não precisam preparar seu filho para o pior, a criança nunca foi ao dentista e nem desconfia que talvez vá doer, é melhor deixar que ele tenha sua própria experiência, limpa e sem influências negativas.


Caso a criança pergunte como é ir ao dentista, diga que ele é o profissional que cuida da saúde da criança e da boca, que no primeiro dia eles vão se conhecer e conversar, que o profissional também limpa os dentes com escova e pastas especiais. Depois que ele for atendido é importante conversar sobre a experiência, saber o que a criança achou da visita ao dentista, sempre enfatizando coisas boas.


É importante ter em mente que a experiência que os adultos passaram na infância em uma cadeira de dentista pode não ser mais realidade hoje em dia. Isso porque os profissionais, consultórios, e procedimentos passaram por muitos processos de estudo e modernização para garantir mais conforto do paciente. A conversa em família depois da consulta é muito importante, deixar a criança contar a experiência dela pode até mudar o modo como os pais veem o dentista.


Para estimular o hábito de cuidar da saúde bucal, os pais podem usar livros e desenhos educativos. A criança gosta muito do lúdico, então, uma dica é falar sobre o som que as coisas emitem e o gosto que têm, criar personagens, personificar a cárie, o dentista, pois isso deixa a experiência mais rica.


A criança precisa se agradar e se sentir segura com o profissional. O mais indicado é deixar que ela crie um vínculo com o dentista, já que ele pode determinar a experiência que a criança vai ter. Busque sempre um especialista, o Odontopediatra é o dentista mais preparado para atender crianças desde o pré-natal odontológico até a adolescência e de forma diferenciada, de acordo a necessidade de cada paciente.