Edições impressas
capa_496.jpg
Please reload

  • Facebook Basic Black
Siga Jornal Classe A

Declarações racistas de aluna de escola particular de Barreiras causa revolta nas redes sociais

October 10, 2018

 

Um vídeo divulgado no perfil de uma adolescente de uma escola particular de Barreiras gerou revolta dos internautas da região oeste da Bahia. No vídeo a aluna do Colégio Enigma diz: "Eu odeio preto vei, odeio comunista e preto. Queria que fosse igual nos Estados unidos, um bebedouro para preto e outro para branco". Logo depois ela mostra a capa do celular com um adesivo do candidato a presidência Jair Bolsonaro.

 

Em outros vídeos na conta dela na rede social a menina ainda faz referência ao resultado das eleições, mostrando que o candidato teria perdido apenas no nordeste. 

 

Os vídeos geraram repercussão nas mídias sociais e logo foi replicado várias vezes, com críticas a adolescente. Universitários, artistas, advogados, professores e outros profissionais assinaram uma nota de repúdio às declarações da menina e registraram boletim de ocorrência e denunciaram o caso ao Ministério Público de Barreiras. O Colégio Enigma também se manifestou por meio de nota, mas não informou se a estudante seria punida.

 

O caso vai ser investigado pela polícia civil de Barreiras. 

 

Confira as Notas:

 

NOTA DE REPÚDIO À MANIFESTAÇÃO RACISTA E XENÓFOBA

 

No dia 08/10/2018, foram publicados vídeos em algumas redes sociais de uma menor de idade em que a mesma dispara conteúdos racistas e xenófobos. No vídeo em que a jovem diz que "odeia preto e que no Brasil deveria ter bebedouros separados para pretos e brancos [sic]", ela ostenta uniforme da escola particular em que estuda, na cidade de Barreiras-BA, e aparentemente o cenário é a própria sala de aula.

 

Posteriormente, outra mídia é publicada pela menor, demonstrando irrisória autocrítica e afirmando que a "brincadeira" é interna e cotidiana entre os colegas. E ainda na sequência, afirma que "nordestino tem que se f*" num contexto de indignação com o resultado do pleito democrático eleitoral.

 

A escola Espaço Criativo, por sua vez, decidiu se posicionar com uma "nota de esclarecimento" que resumidamente, lamenta o ocorrido, delega para os lares dos estudantes a formação ética e moral, além de pedir compaixão das pessoas para com a jovem e a família da mesma, e em momento nenhum menciona a tomada de medida disciplinar a respeito do caso, que na sociedade comum se caracteriza como crime constante na Lei 7.716, art. 20, "Praticar, induzir ou incitar a discriminação ou preconceito de raça, cor, etnia, religião ou procedência nacional."

 

Viemos com a presente nota repudiar qualquer anuência e relativização da instituição de ensino com relação ao ato praticado pela menor, passível de punição perante a lei. Discordamos que toda a educação ética se faça em casa, sendo a ausência de temáticas de respeito ao próximo e vivência em sociedade nos planos pedagógicos das escolas algo prejudicial às crianças, questionável, condenável e sintomático do Brasil intolerante que vemos crescer em nossos grupos de convivência.

 

O caso não deve ser tratado como algo atípico e isolado, e sim levado para as salas de aula para discussões com a comunidade escolar, e os temas de racismo e xenofobia devem ser tradados com a seriedade que merecem. Medidas disciplinares necessitam ser tomadas pela escola com relação à menor, principalmente como artifício exemplar em detrimento de simples punição, para que casos de semelhante gravidade não se repitam entre nossas crianças, futuro de um país que ainda acreditamos ser justo. 

 

Assinam:

 

Bianca Mariá - Professora
Bruna Lis - Estudante universitária
Maria Carolina Martins Mussi - Professora
Daiane de Carvalho Silva - Estudante universitária, monitora e professora
Larissa Martins - Autônoma
Marianne Campos - Arquiteta e Urbanista
João Testi Neto - Estudante de Artes Plásticas na UnB e fotógrafo
Taiany Ribeiro Henrique - Bancária
Aline Yurika Felix Hidaka - Publicitária
Yan Kaic Antunes da Silva - Pesquisador
Thierry Viana Bagano - Estudante e Estagiário da Defensoria Pública Estadual
Julianna Baldin - Professora
Luan Sebastian de Oliveira Santos - Bailarino 
Beatriz Gonçalves -Recepcionista
Juliana Martins Mussi - Advogada
Zaine de Oliveira Souza dos Santos
Tiago Tomé - Estudante de Bi Humanidades UFOB
Carolina Udaeta- Estudante Uneb
Fabrizia Sullivania da Silva Souza - Freelancer
Ada Dias- Estudante de Arquitetura e Urbanismo/ IFBA

 

______________________________________________________________________________________________________________________________________

 

 

NOTA DE ESCLARECIMENTO DA ESCOLA

 

A Escola Espaço Criativo e o Colégio Enigma vêm a público tecer considerações sobre um vídeo feito por uma de suas alunas que, infelizmente, pelo seu pavoroso conteúdo, tomou grandes proporções.


Inicialmente é muito importante deixar claro que nossa instituição de ensino repudia e não comunga com qualquer tipo de manifestação de cunho racista, xenófobo, homofóbico ou que venha a diminuir ou desmoralizar seres humanos.


O posicionamento adotado pela aluna é grave, incauto – até mesmo pela pouca idade da mesma – e certamente incitado e agravado pelas discussões políticas e pela crise moral que hoje passa o país.


Acreditamos que valores como nobreza, humildade, empatia, higidez têm sua gênese dentro de cada um de nossos lares, tendo a escola em geral papel – secundário, mas não menos importante – na educação e na continuidade na aplicação e desenvolvimento dos citados valores. É o que fazemos há 25 anos de forma contundente.


Posicionamentos que criticam a nossa escola indubitavelmente partem de pessoas que estão do lado de fora, não conhecem nossas metodologias e o quanto prezamos pela igualdade e o respeito; respeito este conquistado e reafirmado ao longo de muitos anos de confiança que nossos clientes em nós depositam.


Lamentamos o conteúdo abominável publicado pela estudante, mas ao mesmo tempo havemos de entender que, a despeito do assunto, a mesma não tinha noção da seriedade e da gravidade do que trazia a público.


Importante nos colocarmos no lugar do próximo nesta hora; da aluna e da família da mesma que certamente estão passando por grande tristeza e pavor por conta deste infortúnio. 

Escola Espaço Criativo e Colégio Enigma

Share on Facebook
Share on Twitter
Please reload

Parceiros

Jornal Classe A LTDA ME
Av. Tancredo Neves, 1016 - Aroldo da Cruz 
    CEP: 47850-000 / Luís Eduardo Magalhães-BA
 jornalclassea@yahoo.com.br
77 3639-0108 

© 2016 por "Pelo Mundo". Orgulhosamente criado com Wix.com