Edições impressas
capa_495.jpg
Please reload

  • Facebook Basic Black
Siga Jornal Classe A

Produtos são benéficos para quem pratica atividades físicas, mas precisam de orientação profissional para que sejam consumidos

July 17, 2018

 

Os suplementos se popularizaram no mundo todo como uma forma de obter mais desempenho durante os treinos, ganhar mais massa magra, músculos e até mesmo emagrecer. O produto, oferecido em diversas formas, como em pó ou cápsulas pelo mercado, nada mais é do que uma alta concentração de nutrientes necessários ao organismo. Alguns são produzidos naturalmente pelo corpo e outros precisam ser consumidos por meio da alimentação.

 

        A grande polêmica é que eles são consumidos muitas vezes sem o auxílio de um profissional especializado. Eles devem suprir as necessidades fisiológicas quando esse objetivo não é alcançado com a alimentação e complementar uma dieta balanceada de um atleta ou praticante de atividades físicas. Os nutricionistas possuem o papel de orientar o indivíduo sobre as doses necessárias e os suplementos indicados de acordo com sexo, hábitos, prática de atividade física e outros fatores específicos e individuais.

 

        Para atletas, esses produtos ajudam no aumento do rendimento. O uso feito de forma errada pode provocar sintomas desagradáveis, como transpiração excessiva, flatulência, aceleração dos batimentos cardíacos, aumento da pressão arterial, além de poder desencadear o surgimento de doenças. Por isso é tão importante consultar um profissional. Além de preservar a saúde, ele ajudará a potencializar melhor os resultados que você pretende obter.

 

Regulamentação

 

        Outro impasse em relação ao setor foi a falta de regulamentação dos suplementos alimentares. Hoje, não existe uma categoria específica para esses produtos. O que há são diversas normas para alimentos e medicamentos que devem ser seguidas pelos fabricantes e importadores.

 

        Para resolver esse problema, a Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) promoveu diversos debates com as entidades interessadas, bem como com a sociedade e o setor durante o ano de 2017 e início de 2018. Entre janeiro e abril, o órgão fez seis consultas públicas para deliberar sobre o assunto.

 

        De acordo com a Anvisa, o marco regulatório modernizará o setor e dará acesso a produtos seguros e de qualidade, além de unificar as informações presentes no mercado. O controle sanitário também será facilitado, assim como a gestão do risco. Quando a norma entrar em vigência, as empresas terão um total de cinco anos para se adequar.

 

        A regulamentação pretende estabelecer listas de nutrientes, substâncias bioativas, enzimas e probióticos, de limites de uso, de alegações e de rotulagem complementar dos suplementos alimentares.

 

        De acordo com a Gerência-Geral de Alimentos (GGALI), o mercado atualmente é formado por produtos com forte assimetria de informações em relação a seus benefícios e riscos, além da categoria mesclar características de alimentos e de medicamentos. Um problema decorrente do desencontro de informações é que o consumidor não consegue avaliar qual é o melhor produto para as suas necessidades.

 

        Na época das consultas públicas, a Anvisa lançou um documento de base para discussão regulatória, um material informativo para contextualizar o debate e os desafios em relação aos suplementos alimentares no Brasil, a fim de orientar pessoas e grupos que quisessem fazer contribuições.

 

Benefícios

 

        Apesar das polêmicas, diversos estudos mostram a eficácia dos suplementos no organismo, bem como no rendimento dos treinos e na prática de atividades físicas. Um exemplo disso é o Whey Protein, suplemento popular nas academias ao redor do mundo. O produto é obtido por meio da proteína do soro do leite e é utilizado principalmente para ganho de massa muscular, mas pesquisas revelam outros benefícios.

 

        Em uma entrevista para o jornal Estadão, o médico endocrinologista, Flávio  Cadegiani, disse que estudos indicam que o produto está associado com a diminuição  da inflamação do corpo e a possibilidade de o suplemento ter ação antidiabética.

 

        “Isso além de o Whey acelerar a queima de gordura, impedir a perda de músculos e impedir ganho de gordura quando consumimos muitas calorias. E o mais importante: esses benefícios têm sido muito mais estudados em populações que tipicamente jamais tomariam o Whey, como idosos, sedentários, obesos e diabéticos – e é exatamente onde o Whey tem maior potencial de benefícios”, explicou o especialista.

Share on Facebook
Share on Twitter
Please reload

Parceiros

Jornal Classe A LTDA ME
Av. Tancredo Neves, 1016 - Aroldo da Cruz 
    CEP: 47850-000 / Luís Eduardo Magalhães-BA
 jornalclassea@yahoo.com.br
77 3639-0108 

© 2016 por "Pelo Mundo". Orgulhosamente criado com Wix.com