Edições impressas
capa_496.jpg
Please reload

  • Facebook Basic Black
Siga Jornal Classe A

Carta de uma Psiquiatra sobre “Cinquenta Tons de Cinza” para os Jovens

 

O filme 2 da trilogia Cinquenta Tons de Cinza, Cinquenta Tons Mais Escuros e Cinquenta Tons de Liberdade, está em cartaz e já arranca suspiros, principalmente das mulheres que, via de regra, ficam encantadas com o sedutor personagem, Christian Grey.

 

Muitos gostam de tratar o filme na esportiva, encarando-o como apenas mais um filme romântico um pouco mais apimentado. Porém, vai aqui um alerta bem importante para homens e mulheres e, principalmente, para os jovens. A carta foi escrita no lançamento do Filme 1 , mas também se aplica perfeitamente para o filme 2. Peço que leiam todas as considerações até o final. Refletindo com a autora, creio que também irão perceber o quanto são válidas. Naturalmente acredito no poder do amor, porém é preciso ter consciência que, neste caso, trata-se de uma seara bem perigosa. Ao final falo de alguns pontos que eu reconsideraria na carta. Apreciaria muito poder contar com mais opiniões a respeito da carta e da própria trilogia.

 

“Não há nada de cinza sobre os 50 tons de cinza. É tudo preto. Deixe-me explicar. Eu ajudo pessoas que estão quebradas por dentro. E, ao contrário dos médicos que utilizam raios X ou exames de sangue para determinar por que alguém está com dor, as feridas que me interessam estão ocultas. Faço perguntas e ouço atentamente as respostas. É assim que eu descubro por que a pessoa na minha frente está “sangrando”.

 

Anos de escuta atenta me ensinaram muito. Uma coisa que eu aprendi é que os jovens são totalmente confusos sobre o amor – para achá-lo e mantê-lo. Eles fazem escolhas erradas e acabam sofrendo muito.

 

Eu não quero que você sofra como as pessoas que vejo em meu escritório, por isso estou avisando sobre um novo filme chamado Cinquenta Tons de Cinza. Mesmo se você não vir o filme, sua mensagem tóxica está se infiltrando na nossa cultura e poderia plantar ideias perigosas em sua cabeça.

 

Cinquenta Tons de Cinza está sendo lançado no Dia dos Namorados, então você vai pensar que é um romance, mas não caia nessa. O filme é realmente sobre uma relação doentia e perigosa, preenchido com abuso físico e emocional. Parece glamoroso, porque os atores são lindos, têm carros caros e aviões, e Beyonce está cantando. Você pode concluir que Christian e Ana são legais e que seu relacionamento é aceitável.

 

Não se permita ser manipulado! As pessoas por trás do filme só querem o seu dinheiro; eles não se preocupam nem um pouco com você ou seus sonhos.

 

Abuso não é glamoroso ou legal. Nunca é OK, sob quaisquer circunstâncias.

 

Isto é o que você precisa saber sobre Cinquenta Tons de Cinza: Christian Grey foi terrivelmente negligenciado quando era uma criança. Ele está confuso sobre o amor, porque ele nunca experimentou a coisa real. Em sua mente, o amor está emaranhado com sentimentos ruins como dor e o constrangimento. Christian gosta de machucar mulheres de formas bizarras. Anastasia é uma menina imatura que se apaixona pelos olhares e pela riqueza de Christian, e tolamente segue seus desejos.

 

No mundo real essa história iria acabar mal, com Christian na cadeia e Ana em um abrigo – ou morgue. Ou Christian continuaria batendo em Ana, e ela sofreria como nunca. De qualquer maneira, as suas vidas não seriam um conto de fadas. Confie em mim.

 

Como médica, estou lhe pedindo: não assista Cinquenta Tons de Cinza. Se informe, conheça os fatos e explique aos seus amigos por que eles não devem assistir também.

 

Aqui estão algumas das ideias perigosas promovidas em Cinquenta Tons de Cinza:

 

1. As meninas querem caras como Christian: Grosseiro e que mande nela.

 

Não! Uma mulher psicologicamente saudável evita dor. Ela quer se sentir segura, respeitada e cuidada por um homem que ela pode confiar. Ela sonha com vestidos de casamento, não algemas.

 

2. Homens querem uma garota como Anastasia: Calma e insegura.

 

Errado. Um homem psicologicamente saudável quer uma mulher que sabe se defender por si mesma. Ele quer uma mulher que o corrija quando ele sair da linha.

 

3. Anastasia exerce livre escolha quando ela consente em ser machucada, então ninguém pode julgar a sua decisão.

 

Lógica falha. Claro, Anastasia tinha livre escolha – e ela escolheu mal. A decisão autodestrutiva é uma má decisão.

 

4. Anastasia faz escolhas sobre Christian de forma racional e distante.

 

Duvidoso. Christian constantemente serve Anastasia com álcool, prejudicando seu julgamento. Além disso, Anastasia se torna sexualmente ativa com Christian – sua primeira experiência – logo após conhecê-lo. O sexo é uma experiência poderosa – particularmente na primeira vez.

 

Finalmente, Christian manipula Anastasia para assinar um acordo que a proíbe de falar a alguém que ele é um abusador. Álcool, sexo e manipulação – dificilmente seriam os ingredientes de uma decisão racional.

 

5. Os problemas emocionais de Christian são curados pelo amor de Anastasia.

 

Apenas em um filme. No mundo real, Christian não mudaria de forma significativa. Se Anastasia quisesse ajudar pessoas emocionalmente perturbadas, ela deveria ter se tornado uma psiquiatra ou uma psicóloga.


A principal questão: as ideias de Cinquenta Tons de Cinza são perigosas e podem levar à confusão e más decisões sobre o amor. Existem grandes diferenças entre os relacionamentos saudáveis e não saudáveis, mas o filme borra essas diferenças, de modo que você começa a se perguntar: o que é saudável em um relacionamento? O que é doentio? Há tantos tons de cinza … Eu não tenho certeza.

 

Ouça, é da sua segurança e do seu futuro que estamos falando aqui. Não há margem para dúvidas: uma relação íntima que inclui violência, consensual ou não, é completamente inaceitável.

 

É preto e branco. Não existem tons de cinza aqui. Nem mesmo um.” (o site assina o texto sem o nome da psiquiatra) http://www.resilienciamag.com/carta-de-uma-psiquiatra-sobre-cinquenta-tons-de-cinza-para-os-jovens/

 

Ainda que eu considere esta carta de valor muito positivo, preciso fazer duas considerações.

 

a)Sobre a afirmação “Como médica, estou lhe pedindo: não assista Cinquenta Tons de Cinza. Se informe, conheça os fatos e explique aos seus amigos por que eles não devem assistir também.”

 

Esse é um ponto polêmico. Talvez fosse melhor que realmente ninguém assistisse. Independentemente de ser alguém bem jovem ou mais maduro, não se pode subestimar o poder das mensagens subliminares contidas em qualquer produção de alto investimento como esta.

 

Penso até que um boicote desses poderia ser válido. Porém, soa como sermão de “pai e mãe caretas” que querem superproteger os filhos ao invés de preparar jovens conscientes para lidar com o mundo real, dando suporte e deixando que tirem as próprias conclusões. Outro ponto: infelizmente, ela desconsiderou um conhecimento básico em neurociência ao dizer “não assistam”, visto que representa o mesmo que estimular que assistam.

 

b) Eu alteraria o ítem 1 para:

 

Uma mulher psicologicamente saudável evita dor. Ela quer se sentir segura e respeitada por um homem em quem ela pode confiar e que a estimula a ser ela mesma. Ela sonha com um relacionamento estimulante, mas sempre baseado em gestos de legítimo amor e nunca com algemas.

 

(Da forma como ela escreveu, pode dar a conotação estranha de que uma mulher psicologicamente saudável precisa de um homem para protegê-la e que necessariamente precisa sonhar com vestido de noiva)

 

Conto com a sua valiosa participação!

 

Grande abraço e uma excelente semana a todos!

Share on Facebook
Share on Twitter
Please reload

Parceiros

Jornal Classe A LTDA ME
Av. Tancredo Neves, 1016 - Aroldo da Cruz 
    CEP: 47850-000 / Luís Eduardo Magalhães-BA
 jornalclassea@yahoo.com.br
77 3639-0108 

© 2016 por "Pelo Mundo". Orgulhosamente criado com Wix.com