• Da redação

“Não é viável o retorno das aulas presenciais para 2021”, diz secretário de educação de LEM



Hoje, segunda-feira (27), o Secretário Municipal de Educação Carlos Lopes - acompanhado da diretora de ensino Miriam Martins e do diretor financeiro, Vitor Dourado – informou à imprensa, a decisão técnica de que é inviável a volta às aulas presenciais ainda em 2021 no município. "Só teremos um retorno seguro em fevereiro de 2022", afirmou o secretário de Educação, Carlos Lopes da Fonseca.


Um dos principais motivos é a imunização incompleta dos profissionais de educação do município, como professores, porteiros, diretores, coordenadores, motoristas, entre outros, o que oferece risco a toda comunidade escolar.


"O que estamos levando em consideração é um retorno seguro e sem perda na Educação do aluno", disse o secretário Carlos Lopes. “Este retorno se mostra inviável também para os cofres públicos. Não temos justificativa para tal gasto, para tão pouco tempo de aulas”.


“Imagine você mobilizar mais de 20 mil alunos para apenas os 56 dias restantes para o ano letivo? E mais; se tivermos que intercalar os dias, estaremos falando em 25 dias de aula. Olha a logística para isso; adequação de espaços, transporte, merenda escolar, etc. É inviável”, completou o secretário de Educação.


E o ensino híbrido?

Para mudar toda uma programação em tão pouco tempo, além de arriscado faltam garantias sobre a melhoria no aprendizado do aluno, que é o que mais conta nesse caso.


"Das 36 unidades escolares que temos no município, a grande maioria delas precisa de alguma melhoria ou adaptação para receber os nossos alunos nesse período. E as escolas novas não representam nem 20% da rede de ensino do nosso município", pontuou o diretor Financeiro, Vitor Dourado.

Plataforma de Ensino Remoto

É importante destacar que a educação não parou e que os professores não estão de férias; muito pelo contrário, estão trabalhando muito. É que o município desenvolveu uma Plataforma de Ensino Remoto que já é referência no Estado.


Dos quase 20 mil alunos da rede, 90% aderiram ao acesso remoto, incluindo os alunos que fazem as atividades em casa e levam até a escola para correção, por não terem acesso à Internet. Dessa diferença de 10%, para a totalidade de adesão, 5% são alunos que ainda não efetivaram a matrícula para o ano letivo 2021.


Confira alguns números da Plataforma de Ensino Remoto:

- Produção semanal de 150 aulas;

- Já foram cadastrados 5.604 vídeos, fazendo uma média de 85 mil minutos de videoaulas;

- Hoje a Plataforma soma 280 mil acessos e mais de 23 mil trabalhos/atividades postadas.


Acesse a Plataforma e confira a qualidade:

Link: educalem.com.br

Usuário: visitante

Senha: visitante

Pensando em 2022

A Secretaria de Educação está desenvolvendo um projeto para 2022 que deverá revolucionar o ensino em Luís Eduardo Magalhães. “Um dos pontos é o reforço escolar no contraturno para nivelar todos os alunos, mas principalmente atender àqueles que ao longo do ano não conseguiram acompanhar os outros colegas”, disse Miriam Martins, diretora de Ensino da Secretaria Municipal de Educação de Luís Eduardo Magalhães.