• Da redação

Centro Judiciário de Resolução de Conflitos (CEJUSC), é reinaugurado em Luís Eduardo Magalhães



Foi reinaugurado nesta sexta-feira (10) o Centro Judiciário de Resolução de Conflitos, o CEJUSC, de Luís Eduardo Magalhães.


O órgão, vinculado ao Tribunal de Justiça do Estado da Bahia (TJBA), funciona no novo prédio da Secretaria de Trabalho e Assistência Social do município, com excelentes instalações.

A cerimônia contou com a presença do presidente do TJBA, Desembargador Lourival Trindade, do prefeito Junior Marabá e da coordenadora do CEJUSC, a juíza da 2° vara cível de Luís Eduardo Magalhães, Dra. Renata Firme. Além de outras autoridades locais.


Na oportunidade, a juíza agradeceu o apoio do prefeito Junior Marabá e da Câmara Municipal, pela cessão de funcionários e pela estrutura.


"Nós vamos funcionar na nossa plenitude. Na parte pré-processual, processual e também na parte de cidadania. Na parte de cidadania, nós temos dois projetos, um deles é o 'Pai Presente', onde oferecemos à população, a inserção do nome do pai na certidão de nascimento e o exame de DNA gratuito. Outro projeto que acabou de sair é o 'Enfim Casados', em que realizaremos um casamento coletivo em novembro", destacou.


O Desembargador Lourival Trindade, destacou a importância do CEJUSC, para desafogar o Judiciário.


"Ao invés dessa cultura do litígio, nós implementarmos uma cultura do apaziguamento, uma cultura dialogal, para que as partes saiam contentes. Porque quando se judicializa, as partes não saem apaziguadas", disse.


O prefeito Junior Marabá falou do trabalho conjunto dos poderes, visando o bem-estar da comunidade.


"Essa harmonia entre o poder Judiciário, Legislativo e Executivo em Luís Eduardo tem avançado muito na igualdade social e na resolução de muitos litígios, que nós infelizmente temos em nossa sociedade", ressaltou o prefeito Junior Marabá.


Também prestigiaram a reinauguração, os juízes Claudemir da Silva Pereira, Rafael Bortone Reis. O coordenador de Polícia Civil, Rivaldo Luz, o Delegado Leonardo Almeida e o presidente da OAB/ LEM, Arthur Granich.


Ascom / PMLEM