• Conversion - Foto: divulgação

Saiba como economizar ao comprar motos em leilão


É necessário avaliar as condições e a procedência do veículo para fazer um bom negócio


Um automóvel já sai da concessionária com, aproximadamente, 30% de desvalorização. É por este motivo que uma compra de moto usada pode ser um bom negócio. No caso do leilão, a aquisição também pode valer a pena por ser mais barato do que o valor ofertado pelo mercado. No entanto, é necessário seguir algumas recomendações para não ter más surpresas após o arremate.


Se você nunca participou de leilões, o mais adequado é estudar bastante sobre o assunto e participar de algum apenas como espectador, para analisar de perto como funciona o processo. Cada edital possui a sua especificidade e, por este motivo, é necessário sempre ler o documento com muita atenção. Provavelmente, ele sanará várias dúvidas que você tem sobre o produto leiloado.


O que diz a lei sobre leilão de motos


O leilão de motos apreendidas é regulamentado pelo Código de Trânsito Brasileiro em seu artigo 328. O automóvel pode estar em duas condições: pode ser uma moto de leilão sucata, quando não está apto a trafegar, e conservado, quando apresenta as condições de segurança necessárias para rodar nas ruas. A primeira opção é mais recomendada para as pessoas que pretendem revender as peças; já a segunda é para aquelas que realmente desejam ter um nova moto para suas tarefas diárias e para viajar.


Basicamente, a moto é colocada em leilão por dois motivos. O primeiro tem a ver com a apreensão do automóvel. Nesse caso, a moto pode ser tirada de circulação por diversos motivos: multas, roubo ou qualquer outro tipo de sinistro. Se você optar por motos apreendidas pelo Detran, tenha a consciência de que você terá que quitar todas as pendências anteriores do veículo. Portanto, é necessário levar em consideração esses gastos.


O melhor custo-benefício são as motos leiloadas por financeiras. Essas instituições apreendem o bem como medida extrema quando o proprietário não pagou o financiamento. O seu compromisso, nesses casos, é apenas garantir o ressarcimento do valor emprestado pela financeira. A procedência desses veículos costuma ser melhor.


Se você tem medo quanto à realização desse tipo de transação, pode ficar tranquilo. Os leilões são regulamentados e asseguram uma série de garantias ao comprador, além de ser uma venda transparente para que o arrematante não seja passado para trás. Os principais leilões de moto são os judiciais, realizados durante todo o ano, e os leilões da Receita Federal.


Dicas para o arremate


Se você já se convenceu de que a moto de leilão é um bom negócio, chegou a hora de iniciar o processo de procura e dar os lances. Como já foi dito, sempre avalie o estado do veículo e a procedência para fazer uma boa economia e ter um bom automóvel no final do processo. Ler o edital com atenção é obrigatório para qualquer comprador, porque lá estão todas as informações do produto leiloado.


Também visite, se possível, o veículo no qual você dará o lance. Também leve um mecânico de confiança com você para analisar aspectos mais técnicos, até mesmo porque não é permitido ligar o veículo. Depois de verificar todas as informações e visitar fisicamente o veículo, é hora de definir o lance máximo que você pode dar.


Nunca tome alguma atitude tomada pela emoção. Nessas horas, é importante ser racional para saber o quanto você pode pagar e os gastos que você terá posteriormente com a moto. Em alguns casos, você pode gastar mais do que o esperado com os reparos para deixar a moto de acordo com suas necessidades. Isso também pode acontecer caso você não analise as pendências pelas quais será responsável. Com essas dicas e precauções, você tem maior possibilidade de fazer um bom negócio em um leilão de motos.


Posts recentes

Ver tudo

Abandono de Emprego

Valson Pereira Spindola ME, CNPJ: 29.232.702/0001-82, Rua Manoel Novais, 2848 – Luís Eduardo Magalhães - BA, solicita o comparecimento de AELSON ROCHA DOS SANTOS, portador da CTPS n° 056636 Serie: 000