• Agência do Rádio

Produção aumenta e emprego na indústria fica estável em março


Um dos setores que tiveram destaque foi o automobilístico


De acordo com uma pesquisa feita pela Confederação Nacional da Indústria (CNI), no mês de março a produção na indústria brasileira aumentou e o emprego ficou estável.


Segundo a sondagem da CNI, o crescimento da produção no mês passado foi mais intenso do que o normal para março, com o índice de evolução da produção em 55,2 pontos. O valor está 8,7 pontos acima do de fevereiro e 2,1 pontos maior do que a média histórica dos meses de março.


Funciona da seguinte forma: quando esse índice aponta números acima de 50 pontos, significa aumento da produção e do emprego no setor. O levantamento também apontou que o número de empregados permaneceu em 49,6 pontos, segundo mês seguido de estabilidade.


Um dos setores da indústria que tiveram destaque no mês de março foi o automobilístico. O balanço divulgado pela Associação Nacional dos Fabricantes de Veículos Automotores, a Anfavea, aponta que, no total, foram emplacados no país quase 270 mil veículos em março, um acréscimo de cerca de 25% se comparado com fevereiro.


De acordo com o economista José Luiz Pagnussat, o aumento na demanda é mais um indicador da recuperação da economia brasileira e da confiança do consumidor.


“O comportamento da indústria automobilística é o melhor sinal de reativação da economia. É um setor em que o consumidor normalmente recua quando está com uma expectativa negativa em relação ao futuro, e também volta para o mercado comprar o automóvel no momento em que ele está mais confiante, sua renda está crescendo, ou seja, ele tem um olhar para o futuro com otimismo.”


Representantes do setor automotivo se reuniram nesta terça-feira (24) com o presidente Michel Temer e ministros para discutir detalhes do Rota 2030, proposta de regime de incentivos para o setor automotivo. A expectativa é de que tenha duração de 15 anos e substitua o Inovar Auto, encerrado no fim do ano passado. Segundo o presidente da Anfavea, Antonio Megale, o setor espera que o programa seja lançado em maio.