• Blog do Sigi Vilares

Polícia Civil de LEM desvenda morte de Anderson Carlos


Ele não morreu afogado. Ele foi assassinado


Dr. Joaquim Rodrigues em entrevista ao repórter Weslei Santos

O delegado de Polícia Civil, responsável pelas investigações de homicídio ocorridos na cidade de Luís Eduardo Magalhães, Joaquim Rodrigues foi entrevistado repórter Weslei Santos do Blog Sigi Vilares, na manhã desta segunda-feira, dia 12, para falar sobre a conclusão do laudo da morte de Anderson Carlos Soares de Paula, de 20 anos.

Anderson foi encontrado morto no Rio de Pedras no dia 17 de abril por mergulhadores do Corpo de Bombeiros e salva vida particular, depois de ficar dois dias desaparecido. Segundo a polícia, Gilena Durans de Lima, de 21 anos, que seria namorada de Anderson, teria sido vista pela última vez com ele banhando no rio, e que logo em seguida, sumiu sem dar notícias depois do irmão de Anderson ter atirado na residência de seu pai.


De acordo com informações do delegado Joaquim Rodrigues, Anderson sofreu traumatismo craniano antes de ser jogado no rio, provavelmente foi golpeado com uma pedra na cabeça ou pedaços de madeira, sendo arremessado em seguida, onde desacordado morreu afogado ingerindo água e areia.


Depois de sumir sem dar explicações, Gilena foi convencida pelos pais a prestar depoimento na delegacia, pois se tratava de uma vítima de afogamento e foi a única pessoa que estava no momento, quando Anderson desapareceu.


Gilena prestou depoimento na última semana ao delegado Joaquim Rodrigues que afirma que não ter dúvidas que ela é autora do homicídio dando uma pancada na cabeça da vítima. Ainda segundo o delegado, o inquérito vai ser concluído e encaminhado para a Justiça com mais um crime elucidado na cidade. Será pedido a prisão preventiva de Gilena.


"Não se sabe o motivo do crime mais parece que Gilena estaria com parte do dinheiro que a vitima e o irmão teria roubado" contou o delegado. Com esta ocorrência, LEM já registra 27 homicídio no ano de 2017, porém o delegado salienta que em comparação com os anos anteriores a elucidação de homicídio ultimamente tem sido de 100%.