• Ascom Abrapa

Abrapa apresenta o movimento Sou de Algodão para lojistas de Goiânia


O primeiro Cotton Tea do fashion coworking Clube de Costura, iniciativa que conta com o apoio da Abrapa, reuniu elos diversos da cadeia produtiva do algodão para falar de moda, sustentabilidade e estilo de vida.



Como evento oficial da primeira quinzena pós-inauguração, o fashion coworking Clube de Costura realizou ontem (07/06) seu primeiro "Cotton Tea", um bate-papo sobre o algodão na criação e na indústria de confecção, que reuniu, aproximadamente, 50 pessoas, entre lojistas, estudantes e amantes de moda, na capital goiana. O evento teve o apoio da Associação Brasileira dos Produtores de Algodão (Abrapa) e foi parte das iniciativas de aproximação da entidade com lojistas de varejo e atacado, que caracterizam a segunda fase do movimento Sou de Algodão. O Cotton Tea foi promovido pelo Mega Moda Shopping, no espaço Clô Café Criativo, instalado no Clube de Costura. O diretor executivo da Associação Goiana dos Produtores de Algodão (Agopa), Dulcimar Pessatto Filho, participou do evento representando a Abrapa. Dentre os convidados da noite, o sócio da Markestrat e consultor da Abrapa, Luciano Thomé e Castro falou sobre o movimento Sou de Algodão.


Com um vasto leque de perguntas, ligadas ao algodão commodity, como matéria-prima, até o produto final no ponto de venda, o público interagiu com os convidados. Além de Pessatto e Castro, participaram do evento o estilista goiano Riusley Figueiredo, especialista em jeans, a técnica do Senai e coordenadora do curso de pós-graduação em Processos Produtivos para o Vestuário, da Universo – Universidade Salgado de Oliveira, Hildeth Dias e a empresária Renata Santana, estilista e lojista do Mega Modas, que trabalha apenas com jeans100% algodão.


"Foi um encontro muito interessante para o movimento Sou de Algodão porque nos deu a chance de conversar, simultaneamente, com diferentes elos da cadeia produtiva e com os consumidores. O tema algodão unifica interesses", diz o consultor do movimento, Luciano Thomé e Castro. Ele explica que as oportunidades e desafios para aumentar o uso de algodão nas criações de moda foram postos em perspectivas diferentes, inclusive com o viés da indústria e da academia. "Percebemos que há muito espaço, nesse público diretamente ligado à produção de vestuário, para comunicar melhor as características de sustentabilidade da produção da matéria-prima", argumenta. Sobre os números de consumo apurados pelo movimento Sou de Algodão, Luciano disse haver uma "intuição" a respeito por parte do público lojista. "Havia, na plateia, lojistas que trabalham com cama, mesa e banho, ou com roupas de dormir, que referendaram a preferência do público feminino pelo algodão nesses nichos. Eles também apresentaram seus desafios de manter preços acessíveis ao consumidor final, na concorrência com os produtos feitos com tecidos de fios artificiais", conclui.


Perspectiva da produção


Em sua apresentação, o diretor executivo da Agopa, Dulcimar Pessatto Filho, traçou um panorama da cotonicultura de Goiás e do Brasil, com as conquistas e as lutas do agricultor, destacando a sustentabilidade alcançada na cadeia produtiva como um grande diferencial do algodão brasileiro. “A sustentabilidade é resultado de boas práticas e se torna um valor incorporado ao produto. No algodão, a chancela maior da sustentabilidade é a certificação pelo programa Algodão Brasileiro Responsável (ABR). Graças a ele, no estado de Goiás, a sociedade tem uma percepção muito mais positiva em relação ao produtor”, concluiu o diretor.



Algodão doce



O Clô Café Criativo é a cafeteria do Clube de Costura, e, desde a inauguração do coworking, em 29 de maio, tem promovido uma intensa agenda de eventos. O Cotton Tea fez parte da programação oficial da primeira quinzena do lugar, que, para deixar o bate-papo personalizado e mais divertido, serviu chá adoçado em algodão doce colorido a todos os presentes. "Tudo o que fazemos é para favorecer a criação. O resultado do nosso Cotton Tea, além de muito informativo, foi bonito e inspirador", diz o coordenador do Clube de Costura, Leandro Pires. Na ocasião, o público e os convidados receberam as camisetas do movimento Sou de Algodão.


O Clube de Costura está instalado no Mega Moda Shopping, empreendimento da holding Novo Mundo, situado na movimentada "região da 44" da capital goiana, grande polo varejista e atacadista do Brasil central. O apoio ao coworking foi o marco zero para intensificar a parceria entre o Sou de Algodão, o Mega Modas e seus lojistas, unindo, no movimento, as duas pontas da cadeia produtiva: produção e consumo.


Jornal Classe A LTDA ME
Av. Tancredo Neves, 1016 - Aroldo da Cruz 
    CEP: 47850-000 / Luís Eduardo Magalhães-BA
 jornalclassea@yahoo.com.br
77 3639-0108 

© 2016 por "Pelo Mundo". Orgulhosamente criado com Wix.com