• Por Gervásio Lima Jornalista e historiador

Somos quem podemos ser


'Não se deve nunca desistir dos sonhos'. Tal afirmativa leva qualquer indivíduo sonhador a acreditar que tudo ainda pode acontecer, mantendo sua auto-estima todo o tempo motivada. Mas, o que seria esse sonho? Sonhar por sonhar seria uma espécie de teste de paciência, onde a espera e a esperança são as últimas que morrem? Um bom sonho geralmente não acontece durante uma boa noite de sono ou o melhor dos sonhos acontecem quando os sujeitos estão acordados? O noturno é inconsciente, independe das vontades reais, e o diurno é pragmático do ponto de vista do querer e acreditar mesmo sendo utópico para os que insistem em não abrir os olhos e acordar.


Por incrível que pareça a definição para o que seria o sonho é um tanto quanto complicada, é uma experiência que possui significados distintos que envolve religião, ciência e cultura. O Sonho é um dos eventos biológicos mais fascinantes de que se tem notícia. O que se espera de bom para, e na, vida, pode se resumir em sonho. Acreditar e confiar são o que se chama 'sonhar acordado', são as certezas de que os sofrimentos não superam a vontade de acertar e que o ser humano desfrutará por toda a vida de oportunidades que não podem ser perdidas pelo seu mau aproveitamento.


Receber a confiança de inocentes através do voto popular não dá o direito do escolhido ser indecente. O espaço entre um pleito e outro é suficiente para os sonhadores analisarem se o que sonhou foi uma fantasia, uma irrealidade ou um verdadeiro pesadelo. O lado positivo do sonhar acordado é que se pode escolher o que quer sonhar e redefinir os seus rumos, mudando inclusive suas cores, os lugares, as imagens, os participantes, entre outros. Uma real e às vezes radical mudança histórica do que imaginava e do que realmente quer acreditar.


Destruir sonhos é um crime inafiançável para a consciência e afeta inevitavelmente a vida das suas vítimas. Tal falha de conduta gravíssima tem sido prática corriqueira de inescrupulosos que se aproveitam da inconsciência alheia para utilizar de práticas estelionatárias, abuso de poder e de recursos financeiros durante o momento que deveria ser de disputa de debates e de propostas. Ainda bem que na sua maioria gato escaldado tem medo de água fria, cachorro mordido por cobra tem medo de linguiça e macaco velho não põe a mão em cumbuca. O experiente não cai em armadilha manjada.


A enganação provoca prejuízos sem precedentes para o autor e para o receptor. Diversos são os exemplos das consequências ruins por uma escolha errada. É bom lembrar que se encher a panela demais é preciso ficar por perto para não deixar o leite derramar durante sua fervura. Se esquecer da ebulição terá que limpar a sujeira do fogão. O mal do esperto é pensar que todo mundo é besta.


O culpado não é só aquele que comete o crime; existem os culpados pela conveniência, pela conivência e até mesmo pela ignorância. Em se tratando de um município, por exemplo, a população é responsável por tudo que acontece em sua comunidade, por tanto sua participação nas discussões e no acompanhamento a tudo que lhe for inerente é essencial e necessária. Vale ressaltar que o pesadelo coletivo não é um sonho ruim e sim uma catástrofe.


“... Quem ocupa o trono tem culpa

Quem oculta o crime também

Quem duvida da vida tem culpa

Quem evita a dúvida também tem


Somos quem podemos ser

Sonhos que podemos ter”


Somos Quem Podemos Ser - Engenheiros do Hawaii


Jornal Classe A LTDA ME
Av. Tancredo Neves, 1016 - Aroldo da Cruz 
    CEP: 47850-000 / Luís Eduardo Magalhães-BA
 jornalclassea@yahoo.com.br
77 3639-0108 

© 2016 por "Pelo Mundo". Orgulhosamente criado com Wix.com