PREFEITURA DE LUÍS EDUARDO MAGALH...

Bahia passa a ter 42 municípios c...

Coronavírus: Brasil tem 201 morte...

Governadores do Nordeste cobram a...

Prefeitura revoga artigos de decr...

Rui anuncia novos leitos para Cov...

1/3
Please reload

Os professores da Rede Municipal de Ensino aderiram a greve geral, movimento nacional que acontece hoje (30) em 21 estados brasileiros e paralisam os serviços públicos em protesto as reformas da previdência e trabalhista, que estão sendo votadas no Congresso Nacional.

Aqui em Luís Eduardo Magalhães a manifestação aconteceu na Praça Sérgio Alvim Mota, no centro e seguiu em caminhada pelas ruas da cidade com cartazes, faixas e apitaço. Além dos professores também participaram da manifestação os servidores do setor de tributos da Prefeitura, que estão em greve desde a segunda-feira (5). Eles reivindicam uma gratificação por produtividade que corresponde a 60% dos salários da classe.

 Por conta da greve 33 das 35 escolas municipais não tiveram aulas nesta sexta-feira (30).

Em entrevista à Tv Oeste o Bispo Ricardo Knupp, Secretário de Administração e Finanças da prefeitura de Luís Eduardo Magalhães rebateu as reivindicações dos assistentes administrativos do setor de tributos, que entraram em greve desde ontem pela manhã (veja aqui)

De acordo com o secretário o decreto que regulamentava  a concessão da gratificação por produtividade e foi concedido pelo prefeito Oziel Oliveira, no fim do seu mandato em 2008 era ilegal e por isso foi revogado em janeiro deste ano pelo próprio prefeito. "Ele revogou esse decreto porque ele trazia uma mudança na lei e um decreto não pode mudar uma lei. O decreto mudava um artigo onde houve um entendimento questionável onde os servidores podiam receber essa gratificação e por isso foi suspenso".

O secretário também considero...

Na manhã desta segunda-feira (26) quem precisou tirar nota fiscal ou mesmo pagar imposto na prefeitura deu de cara com um setor vazio e sem atendimento. Os assistentes administrativos do setor de tributos entraram em greve por tempo indeterminado por conta da retirada da GPRO, gratificação por produtividade. O valor era pago desde 2008 ainda no fim da gestão do segundo mandato do prefeito Oziel Oliveira. O mesmo revogou o decreto em janeiro deste ano, alegando que o antigo infringia uma lei municipal e retirou a gratificação dos servidores.

De acordo com Jackson Conceição a medida tem prejudicado os servidores."Eu mesmo tive que trancar a faculdade por conta dessa redução no salário, tem colegas que precisaram tirar filhos de escola particular e passam dificuldades financeiras" afirmou. De...

Please reload

clique e visualize a edição
capa_496.jpg
PATROCINADORES
gilson_sena_3.jpg

Parceiros

Jornal Classe A LTDA ME
Av. Tancredo Neves, 1016 - Aroldo da Cruz 
    CEP: 47850-000 / Luís Eduardo Magalhães-BA
 jornalclassea@yahoo.com.br
77 3639-0108 

© 2016 por "Pelo Mundo". Orgulhosamente criado com Wix.com