Governador aciona PGE para adotar...

Para Abrapa, a FPA e o Mapa não p...

CERIMÔNIA DO TRE-BA EM LUÍS EDUAR...

Deputado Tito presta contas do ma...

VAGAS PARA HOJE

Biometria: regularização do títul...

1/3
Please reload

Fazer imprensa não é tarefa fácil, e fazer imprensa séria, responsável e profissional nos pequenos centros urbanos é muito mais difícil. A comunicação exerce um papel de destaque e faz parte do dia a dia da população, seja através do rádio, da televisão, do jornal escrito e, de uns tempos pra cá, da internet, principalmente das redes sociais. Como dizem os mais vividos, é a mão e os pés em muitas situações do cidadão.

A imprensa tem se tornado como o principal canal de interação da sociedade, se comportando como um forte elo emissor e receptor dos mais diversos assuntos, nas mais diversas áreas. É a segunda, a terceira e a quinta voz de uma ou mais pessoas.
 
Nas pequenas cidades, onde aquele que não conhece é conhecido, as relações humanas são mais próximas por geralmente existir um grau d...

Inúmeros episódios ocorridos no Brasil antes e após as últimas eleições estão deixando o povo brasileiro encucado. Uma ‘aura sombria’ ronda o país num momento de incertezas, impotências e de medo. O brio está cedendo espaço para o esmorecimento e o antes envaidecido agora anda cabisbaixo e desolado, quiçá envergonhado.

Conseguir lidar com as situações inevitáveis da vida é uma grande e importante virtude e demonstração de força, e a população brasileira com sua peculiar resiliência sabe muito bem o que é isto, por viver ainda uma cultura onde o sofrimento é enaltecido e valorizado. Talvez por ter cerca de 90 por cento de seus habitantes declarados cristãos, o Brasil se apega à fé para acreditar que ‘depois da tempestade vem a bonança’.

Uma antiga parábola judaica sobre a verdade e a mentira,...

Algumas pessoas ficam ‘cegas’ a julgar apenas pela aparência, pela maneira que se apresenta ou é apresentado um semelhante. A função que exerce, a condição financeira e até o sobrenome (descendência) do julgado não têm sido, e nunca serão, parâmetros para identificar um ‘171’ (aquele que engana para conseguir benefícios próprios). O bandido nem sempre é reconhecido em um primeiro momento, pois muitas vezes as aparências enganam.

A honestidade de alguém não está relacionada a estereótipos do tipo ‘padrão televisivo’ e sim ao seu caráter. Assusta saber que a farsa nunca esteve tão presente e o pior, profissionalizada e em todos os setores da sociedade.

A verdade tem perdido espaço para a mentira e a cólera desenfreadas, patrocinadas propositalmente para criar um ambiente generalizado de hostil...

Entra ano, sai ano, e a história se repete. A descaracterização do tradicional forró ‘pé de serra’ e das festividades juninas atinge o mais tradicional dos eventos do nordeste. Quase virando assunto para ‘almanaque de farmácia’’ o forrobodó de raiz tem perdido espaço para a mecanização e sons eletrônicos, se tornando cada vez mais em uma saudosa reminiscência e, o que é pior, com a complacência de figuras que se dizem defensores culturais.

Valorizar as tradições é uma maneira de manter vivo os costumes que identificam a história de um povo, é um importante e louvável reconhecimento ao patrimônio imaterial cultural de um lugar. ‘Estelionato cultural’, caso existisse, seria o crime cometido por aqueles que utilizam da fama de outras culturas para enganar seus seguidores. Forró sempre remeteu...

O brasileiro costuma se vangloriar por o país não fazer parte de zonas de riscos de catástrofes naturais como furacões, erupções vulcânicas, terremotos e grandes nevadas. A população que chega a comemorar inexistências destes eventos tem vivido momentos de pânico tão quanto os moradores de locais atingidos pelos fenômenos. Na contramão de tudo que foi pregado, o Brasil atravessa um dos seus piores momentos desde o fim da ditadura militar (1964/1985).

Diversos episódios negativos têm balançado literalmente a nação canarinho, deixando seu povo atônito. Enquanto a economia não dá sinais de melhoras, o desemprego atingindo taxas estratosféricas, direitos constitucionais sendo menosprezados e até mesmo extinguidos, noticiários informam a todo o momento alguma trapalhada envolvendo os três podere...

“Pecuarista é raptado e após três dias é encontrado morto com requintes de crueldade. Acusados foram presos e com eles foram apreendidas duas espingardas e uma pistola”. Este fatídico acontecimento chamou a atenção de autoridades policiais e da população baiana pelo modus operandi utilizado pelos criminosos, que agiram com frieza e crueldade. A vítima, um pai de família trabalhador, confiou ao seu vaqueiro – o principal suspeito de ter arquitetado e participado do crime – os serviços de sua propriedade.

A cada dia acontecem diversos casos de violência no Brasil. A banalização de atitudes ruins, que fazem mal e que até mesmo matam é preocupante. O brasileiro tem dado sinais claros de egoísmo, onde o que importa é apenas a sua defesa pessoal. Quem está em sua volta que se vire, que dê seus pu...

A ruindade que ora impera de maneira demasiada entre as pessoas foi vaticinada há milhares de anos. Na Bíblia Sagrada, por exemplo, é possível encontrar referências a este sentimento nos versículos e capítulos do Livro do Apocalipse. Para alguns se trata do ‘prenúncio do final dos tempos’, outros atribuem a uma qualidade dos perversos. Esta última interpretação talvez seja a mais coerente, pois não se justifica pelo ‘tempo’ determinados comportamentos perniciosos contra aquilo ou aquele com quem se vive.

Tem gente que é ruim porque gosta. Desejar e fazer o mal estão intrínsecos e provocam sensações de deleites naqueles desprovidos de humanidade e geralmente em alguns portadores de problemas psíquicos. Não interessa o prejuízo e a dor que o próximo venha a ter, o importante é destruir. O con...

Todo bom começo é prenúncio de resultado positivo em curto, médio e longo prazo. O que começa bem inevitavelmente prospera. Quando a lógica não é o centro de determinada discussão o confuso abre espaço para a interpretação, esta quando é pessoal remete ao egoísmo, mas quando o coletivo demonstra ter a mesma opinião a verdade se aproxima da razão.

O nestante é o futuro mais próximo do agora; é o daqui a pouco, o que está por vir e o presente vizinho do passado. Entendeu? Eu também não, mas a verdade é que a existência é o presente, o passado e o futuro. Aquilo que não existe não se aplica os tempos verbais.

Não precisa ser vidente ou possuir outros poderes sobrenaturais para adivinhar as conseqüências de desastrosos comportamentos. Atuar em causa própria ou em prol de determinados grupos, sel...

Não é necessário possuir conhecimentos excepcionais nas áreas das ciências que estudam o comportamento humano para saber que atitudes positivas geram bons fluídos e interferem de forma bastante incisiva na vida das pessoas. Transmitir energia positiva através de atos como o de gentileza, educação, temperança e altruísmo é uma simples, mas valorosa, forma de contribuir para a construção de um mundo menos injusto e sem conflitos. A energia positiva transforma as pessoas e os ambientes, é componente da felicidade e promove o bem-estar.

É preocupante e desolador presenciar, em pleno século XXI, atitudes e comportamentos idênticos aos dos Bárbaros, na Idade Média, período da história da Europa entre os séculos V e XV (entre os anos de 476 e 1453), conhecido como os “Anos Escuros” ou “A Idade das...

“Não entendo. Isso é tão vasto que ultrapassa qualquer entender. Entender é sempre limitado. Mas não entender pode não ter fronteiras. Sinto que sou muito mais completa quando não entendo. Não entender, do modo como falo, é um dom. Não entender, mas não como um simples de espírito. O bom é ser inteligente e não entender. É uma benção estranha, como ter loucura sem ser doida. É um desinteresse manso, é uma doçura de burrice. Só que de vez em quando vem a inquietação: quero entender um pouco. Não demais: mas pelo menos entender que não entendo”. Esta é uma das diversas inquietações de Clarice Lispector (1920 – 1977), escritora e jornalista ucraniana naturalizada brasileira.

O momento pelo qual passa o Brasil tem provocado inúmeros questionamentos e reflexões. Tem brasileiro entendendo, não en...

Please reload

clique e visualize a edição
capa_496.jpg
PATROCINADORES
gilson_sena_3.jpg

Parceiros

Jornal Classe A LTDA ME
Av. Tancredo Neves, 1016 - Aroldo da Cruz 
    CEP: 47850-000 / Luís Eduardo Magalhães-BA
 jornalclassea@yahoo.com.br
77 3639-0108 

© 2016 por "Pelo Mundo". Orgulhosamente criado com Wix.com